Pesquisar

Capítulo 1. Visão Geral do GFS2

download PDF
O sistema de arquivos GFS2 da Red Hat está incluído no Complemento de Armazenamento Resiliente. Ele é um sistema nativo de arquivos que lida diretamente com a interface do sistema de arquivos kernel do Linux (VFS layer). Quando implementado como um sistema de arquivos do cluster, o GFS2 implementa os metadados distribuídos e diários múltiplos. A Red Hat suporta o uso do sistema de arquivos GFS2 somente implementado do Complemento de Alta Disponibilidade.

Nota

Apesar do sistema de arquivos GFS2 pode ser implementado em um sistema isolado ou como parte de uma configuração de cluster, para o lançamento do Red Hat Enterprise Linux 6, a Red Hat não suporta o uso do GFS2 como um sistema de arquivos de nó único. A Red Hat suporta uma variedade de sistemas de arquivos de nó único de alto desempenho que são otimizados para um nó único e portanto possuem custos mais baixos do que um sistema de arquivos de cluster. A Red Hat recomenda usar estes sistemas de arquivos preferencialmente do que o GFS2 em casos onde somente um nó precisa montar um sistema de arquivos.
A Red Hat continuará a dar suporte para sistemas de arquivos GFS2 em nó único para montagem de snapshots dos sistemas de arquivos de cluster (por exemplo, para propósitos de backup).

Nota

A Red Hat não suporta o uso do GFS2 para implementações de sistemas de arquivos de cluster maiores de 16 nós.
O GFS2 é baseado em uma arquitetura de 16-bits que pode teoricamente acomodar um sistema de arquivos 8 EB. Entretanto, atualmente o tamanho máximo suportado de um sistema de arquivos GFS2 para hardware de 64-bits é de 100 TB. O tamanho máximo suportado atual de um sistema de arquivos GFS2 de 32-bits é de 16 TB. Se seu sistema requer sistemas de arquivos GFS2, contate seu representante de serviços Red Hat.
Quando determinar o tamanho de seu sistema de arquivos, você deve considerar suas necessidades de recuperação. Executando o comando fsck.gfs2 em um sistema de arquivos muito grande pode levar um longo tempo e consumir uma grande quantidade de memória. Adicionalmente, no evento de falha de um disco ou subsistema de disco, o tempo de recuperação é limitado pela velocidade de sua mídia de backup. Para informações sobre a quantidade de memória que o comando fsck.gfs2 requer, veja a Seção 4.11, “Reparando um Sistema de Arquivo”.
Quando configurado em um cluster, os nós do Red Hat GFS2 podem ser configurados e gerenciados com as ferramentas do Complemento de Alta Disponibilidade. O Red Hat GFS2 então fornece compartilhamento de dados entre nós GFS2 em um cluster, com uma única visão consistente do espaço do nome do sistema de arquivos por todo os nós GFS2. Isto permite processos em nós diferentes para compartilhar arquivos GFS2 na mesma maneira que processos no mesmo nó podem partilhar arquivos em um sistema de arquivos local, sem uma diferença perceptível. Para informações sobre o Complemento de Alta Disponibilidade consulte Configurando e Gerenciando um Cluster Red Hat (Configuring and Managing a Red Hat Cluster).
Enquanto um sistema de arquivos GFS2 pode ser usado fora do LVM, a Red Hat suporta somente sistemas de arquivos GFS2 que são criados em um volume lógico CLVM. O CLVM é incluído no Complemento de Armazenamento Resiliente. Ele é uma implementação de cluster geral do LVM, ativada pelo daemon CLVM, clvmd, que gerencia os volumes lógicos LVM em um cluster. O daemon faz isso possível para usar o LVM2 para gerenciar volumes lógicos. Para informações sobre o gerenciador de volume LVM, veja Administração do Gerenciador de Volume Lógico (Logical Volume Manager Administration).
O módulo do kernel gfs2.ko implementa o sistema de arquivos GFS2 e é carregado em nós do cluster GFS2.

Nota

Quando você configurar um sistema de arquivos GFS2 como um sistema de arquivos de cluster, você deve garantir que todos os nós no cluster possuem acesso ao armazenamento compartilhado. Configurações de cluster assimétricas nas quais alguns nós possuem acesso ao armazenamento compartilhado e outros não são suportados. Isto não requer que todos os nós montem o sistema de arquivos GFS2.
Este capítulo fornece algumas informações básicas abreviadas como pano de fundo para ajudá-lo a entender o GFS2. Ele contém as seguintes seções:

1.1. Recursos Novos e Alterados

Esta seção lista os novos e modificados recursos do sistema de arquivos GFS2 e da documentação GFS2 que são incluídos com os lançamentos iniciais e subsequentes do Red Hat Enterprise Linux 6.

1.1.1. Recursos Novos e Alterados para o Red Hat Enterprise Linux 6.0

O Red Hat Enterprise Linux 6.0 inclui a seguinte documentação e atualizações de recursos e mudanças.
  • Para o lançamento do Red Hat Enterprise Linux 6, a Red Hat não dá suporte para o uso do GFS2 como um sistema de arquivos de nó único.
  • Para o lançamento do Red Hat Enterprise Linux 6, o comando gfs2_convert que faz a atualização do GFS para um sistema de arquivos GFS2 foi melhorado. Para informações sobre este comando, veja o Apêndice B, Convertendo um Sistema de Arquivo utilizando os GFS e GFS2.
  • O lançamento do Red Hat Enterprise Linux 6 suporta as opções de montagem discard, nodiscard, barrier, nobarrier, quota_quantum, statfs_quantum, e statfs_percent . Para informações sobre montar um sistema de arquivos GFS2, veja a Seção 4.2, “Montagem de Sistema de Arquivo”.
  • A versão Red Hat Enterprise Linux 6 deste documento contém uma nova seção, a Seção 2.9, “Bloqueio de Nó GFS2”. Esta seção descreve alguns dos sistemas de arquivos internos GFS2.

1.1.2. Recursos Novos e Modificados para o Red Hat Enterprise Linux 6.1

O Red Hat Enterprise Linux 6.1 inclui a seguinte documentação e atualizações de recursos e mudanças.

1.1.3. Recursos Novos e Modificados para o Red Hat Enterprise Linux 6.2.

O Red Hat Enterprise Linux 6.2 inclui a seguinte documentação e atualização de recursos e mudanças.

1.1.4. Recursos Novos e Alterados para o Red Hat Enterprise Linux 6.3

Para o lançamento do Red Hat Enterprise Linux 6.3 release, este documento contém um novo capítulo, Capítulo 2, Configuração do GFS2 e Considerações Operacionais. Este capítulo fornece recomendações para otimizar o desempenho do GFS2, incluindo recomendações para criar, utilizar e manter um sistema de arquivo GFS2.
Além disso, este documento apresenta pequenas explicações e correções.

1.1.5. Recursos Novos e Modificados para o Red Hat Enterprise Linux 6.4

Pois o lançamento do Red Hat Enterprise Linux 6.4, Capítulo 2, Configuração do GFS2 e Considerações Operacionais foi atualizado com pequenos esclarecimentos.

1.1.6. Recursos Novos e Modificados para o Red Hat Enterprise Linux 6.6

Para o lançamento do Red Hat Enterprise Linux 6.6, este documento contém um novo capítulo, Capítulo 6, Configurando um Sistema de Arquivo do GFS2 em um Cluster de Pacemaker.. Este capítulo fornece um guia de passos necessários para configurar um cluster do Pacemaker que inclui um sistema de arquivo do GFS2.
Além disso, este documento apresenta pequenas explicações e correções.
Red Hat logoGithubRedditYoutubeTwitter

Aprender

Experimente, compre e venda

Comunidades

Sobre a documentação da Red Hat

Ajudamos os usuários da Red Hat a inovar e atingir seus objetivos com nossos produtos e serviços com conteúdo em que podem confiar.

Tornando o open source mais inclusivo

A Red Hat está comprometida em substituir a linguagem problemática em nosso código, documentação e propriedades da web. Para mais detalhes veja oBlog da Red Hat.

Sobre a Red Hat

Fornecemos soluções robustas que facilitam o trabalho das empresas em plataformas e ambientes, desde o data center principal até a borda da rede.

© 2024 Red Hat, Inc.